O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Preconceito




Estou farta dessa hipocrisia, incluindo a minha. Eu tenho preconceito sim! E não são poucos.
Olho atravessado para os japoneses, os negros, os alemães, os franceses e os argentinos (e devo estar esquecendo algum povinho por aí...). Falando de "raça" ainda incluo os curitibanos, os cariocas e os paulistanos. Tenho preconceito dos velhos e novos ricos. Com adoção de crianças, Ongs e instituições de caridade, nem vamos falar de políticos... Tenho preconceito de homem bonito, malhado, jovem e dos gordos e velhos tambem . Tenho preconceito com quem aaaaaadora Disney e Miami. De quem não lê, ouve lixo, se afoga na cerveja e assiste tv. Tenho imensos preconceitos com homossexuais, machistas e feministas. De advogados, técnicos em eletroeletronicos, psicólogos, terapias alternativas, exoterismo, homeopatia, adeptos da igreja universal e ramificações... incluindo todos os religiosos "praticantes", quero dis-tân-cia. Feirinha de artesanato, "arte" do lixo reciclável, artistas contemporâneos famosos e críticos de arte... Ah! essa lista não termina hoje, mas já deu pra constatar que sou mesmo uma preconceituosa de marca. É bem verdade que meu passado me condena... Pra começar, meus filhos são mestiços japoneses. Entre meus grandes amores, está um saxofonista negro, um advogado, um carioca, um outro 30 anos mais velho, outro 10 anos mais jovem. Entre os meus grandes amigos, boa parte é homossexual, outros são ricos (mas não são novos) alguns são psicólogos, um é medico homeopata, outro é um machista adorável, um bem gordinho e que bebe muita cerveja (mas não ouve lixo nem assiste TV) outros são religiosos praticantes. Quando chego em uma cidade vou logo me informando onde acontece a tal feirinha. Frequentemente apoio projetos sócio-econômicos, tenho mais horas de psicoterapia do que piloto aposentado tem de voo, sou habitué de exposições de arte comtemporânea, produzo tecido para cenário de TV e minha única e adorada irmã, é adotiva. Vai entender?
Diante disso, acho que se um argentino bonitão cruzar meu caminho, um sorriso pra ele não vai me quebrar os dentes, será que vai?

11 comentários:

Anita Miguel disse...

Ita
voce é uma figura!... também tenho metade desses preconceitos e metade dessas histórias!
Tô chegando de férias. só pra dizer que adorei teu almoço e o papo e os lápis e as rosas e as sedas e tudo mais... Beijos,

Fabio Fernandes disse...

É assim mesmo, todos temos preconceitos.. o meu aparece às vezes quando alguém tenta, sem perceber que eu já percebi, me passar pra trás, quando quer furar a fila no banco, quando passar por um sinal vermelho.. Tb tenho preconceito contra o desconhecido, mas passa logo assim que passo a conhecer..

Obviamente do que me faz bem, não tenho preconceito.. pq este, já se tornou pós-conceito.

Saudade de você, meu glacê. E aí? como tú tá?

Bjos.

vida cotidiana disse...

Adorei, todos somos assim mas não adimitimos, vivemos sobre um teto de vidro,texto ótimo, bjs

Lu Fuoco disse...

Ita, A-DO-REI!
Não tenho todos estes preconceitos, embora tivesse quando criança (existem histórias que me envergonham). Mas tenho alguns, sim, e como você assumo.
Mas esse é o colorido da vida, em que a gente aprende vivendo.

Bjo, Lu

PS. Ia te fazer uma surpresa no feriado, mas...as chuvas fizeram o favor de me deixar sem telhado e aí foi aquela correria. Mas eu vou aparecer, juro!

André Kano disse...

to rindo de chorar. vc é a pessoa mais preconceituosa que conheço da boca pra fora.

Elizeth Senna disse...

O que dizer??? realmente MARAVILHOSO!!! Adoro esses preconceitos que são postos, consciente ou inconscientemente de lado quando realmente conseguimos ver além deles!! Essa a a diferença entre preconceituosos!! todos nos temos pre - conceitos... só não podemos nso firmar neles!! Bjs e agradecida por cmpartilhar conosco seus lindo pensamentos!!

Mariacininha disse...

Ita!!!!! Acabei de receber o seu presente. Ainda estou em estado de choque. Que maravilha, suas sedas, sua caixinha (agora minha), a delicadeza da embalagem, o aroma o lacinho e o texto aos pedaços.
Meu Deus me senti muito importante! Porque é assim que se senti uma pessoa quando recebe um presente nestas condições. Você inflou meu ego. OBRIGADO. Já me arranjei com a seda, já comecei um trabalho assim que terminar te mostro. Antoine de Saint-Exupery tem um livro precioso (cidadela), em um texto ele fala que as pessoas que trabalham com as mãos, quando morrem sem que ninguém perceba, vão embora com as mãos cheias de estrelas. Você tem as suas mãos cheias de estrelas agora e são bem visíveis. Obrigado

Mariacininha disse...

Ah sobre o seu texto, ADOREI, assino embaixo. Também cultivo alguns preconceitos, mas também me frago em muitas contradições.Oh, bicho humano.

Beijos

Rodrigo Pinto disse...

Passei por teu mural.
Tá lindo demais

Rodrigo Pinto disse...

Teu mural tá lindo demais

Rodrigo Pinto disse...

Passei por teu mural.
Tá lindo demais