O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Presente para o coração



Eu queria muito um saleiro de parede mas parece que isso nem se usa mais, mas eu queria. So encontrei esse vasinho... mas não é que um amado e habilidoso marceneiro transformou o meu vasinho no saleiro que eu queria? E ainda arrematou com essa declaração de amor? Chorei!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Quer emoção?


Num dia qualquer no mercado, a musica começa a tocar entre as bancas de frutas e verduras. Fragmentos de La Traviata de Verdi, interpretados em pleno Mercado Central de Valência. Observar o publico assombrado diante do inesperado, do improvavel da magia da arte, fazem com que recuperemos a confiança no que é bom; o sabor das frutas, os infinitos verdes das verduras, o champagne, a boa musica, A Vida. Desfrute!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Roland Zee



Roland é mágico, mímico, piloto de avião e entre muitas outras qualidades...meu velho e querido amigo.
É brasileiro, mas como aqui o caminho mais curto para um artista sempre foi o Galeão... Roland embarcou para Paris em 1985 e de Paris para o mundo. O vídeo é ainda do tempo em que ele precisava atuar na rua, com um frio de oito graus negativos mas quando o reencontrei pela primeira vez ele me apanhou no aeroporto num Honda- conversível-vermelho que para mim simbolizava coragem, determinação e força que ele precisou para enfrentar tudo e todos pra alem de um talento inquestionavel.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010