O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

domingo, 3 de maio de 2009

Eu vou, ele vai, nós vamos

 

 

 
Posted by Picasa


"Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa compor muitos rocks rurais
E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais
Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa ficar no tamanho da paz
E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais
Eu quero carneiros e cabras pastando solenes
No meu jardim
Eu quero o silêncio das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos
Meu filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher com a mão
A pimenta e o sal
Eu quero uma casa no campo
Do tamanho ideal, pau-a-pique e sapé
Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros
E nada mais"

Eu vou. Eu não tenho medo das mudanças. Eu não tenho medo do silêncio.
Eu vou virar bicho da seda de vez, porque bicho da seda é antes de tudo
Bicho do mato
Eu vou!

5 comentários:

Gis disse...

E como você vai em paz, vai ser muito feliz! beijocas. PS: guardei um cantinho especial pro último post que colocou na Caixa. ;-)

Plim disse...

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce...

Ita Andrade disse...

Gis,
obrigada por tratar-me com tanto carinho.

Plim,
Abrir uma clareira na mata e levantar uma morada é uma tarefa que a mim só parece possivel, pela presença de Deus.
Adorei o coment

Gis disse...

Ita, é a tal reciprocidade... Bjk.

Adriana Calábria disse...

É do amor que as coisas nascem!
Se tem amor, todo o resto é possível...
Abração!