O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Receita pra lavar palavra suja



Mergulhar a palavra suja em água sanitária.
Depois de dois dias de molho, quarar ao sol do meio dia.
Algumas palavras quando alvejadas ao sol
adquirem consistência de certeza. Por exemplo a palavra vida.
Existem outras, e a palavra amor é uma delas,
que são muito encardidas pelo uso, o que recomenda esfregar
e bater insistentemente na pedra, depois enxaguar em água corrente.
São poucas as que resistem a esses cuidados, mas existem aquelas.
Dizem que limão e sal tira sujeira difícil, mas nada.
Toda tentativa de lavar a piedade foi sempre em vão.
Agora nunca vi palavra tão suja como perda.
Perda e morte na medida em que são alvejadas
soltam um líquido corrosivo, que atende pelo nome de amargura,
que é capaz de esvaziar o vigor da língua.
O aconselhado nesse caso é mantê-las sempre de molho
em um amaciante de boa qualidade. Agora, se o que você quer
é somente aliviar as palavras do uso diário, pode usar simplesmente
sabão em pó e máquina de lavar.
O perigo neste caso é misturar palavras que mancham
no contato umas com as outras. Culpa, por exemplo,
a culpa mancha tudo que encontra e deve ser sempre alvejada sozinha.
Outra mistura pouco aconselhada é amizade e desejo, já que desejo,
sendo uma palavra intensa, quase agressiva, pode,
o que não é inevitável, esgarçar a força delicada da palavra amizade.
Já a palavra força cai bem em qualquer mistura.
Outro cuidado importante é não lavar demais as palavras
sob o risco de perderem o sentido.

A sujeirinha cotidiana, quando não é excessiva,
produz uma oleosidade que dá vigor aos sons.
Muito importante na arte de lavar palavras
é saber reconhecer uma palavra limpa.
Conviva com a palavra durante alguns dias.
Deixe que se misture em seus gestos, que passeie
pela expressão dos seus sentidos. À noite, permita que se deite,
não a seu lado mas sobre seu corpo.
Enquanto você dorme, a palavra, plantada em sua carne,
prolifera em toda sua possibilidade.
Se puder suportar essa convivência até não mais
perceber a presença dela,
então você tem uma palavra limpa.
Uma palavra limpa é uma palavra possível.
Viviane mosè

4 comentários:

vida cotidiana disse...

Lindo o texto, e faz pensar. Como utilizamos algumas palavras, de sentido importante tão banalmente, amor para mim é a palavra que deveria ser limpa sempre, para se resgatar o verdadeiro sentido.
O que é amar.
Bjs

Ita Andrade disse...

Vida,
É pra pensar mesmo. Viviane Mosè foi minha terapeuta e é filósofa tambem. Aquela que apresentava o quadro "Ser ou não ser" no fantastico ha uns tempos atras, lembra?
Se quiser conhecer mais, entre com o nome dela no google, tem muita coisa.
Obrigada pela visita e um abraço

Monica Loureiro disse...

Maravilhoso....
Ita, ter a Viviane como terapeuta deve ser muito bom....
Duas coisas que eu amo : TERAPIA e FILOSOFIA...

Beijão

Monica

Marisa Pimenta disse...

Olá Ita, quem me dera poder tb ir morar aí em Paraty, quem sabe um dia? Obrigada pela visita e o carinho, mas este texto não é meu, o autor p mim é desconhecido, como gostei demais resolvi repassar e esqueci de colocar autor desconhecido. Porém, eu não me acostumei a nada disso, pelo contrário, procuro novidades a cada dia, mas não p ganhar mais dinheiro, etc,e, sim para me sentir bem comigo mesma, afinal já tenho 67 e preciso aproveitar."a vida é curta para ser pequena" como dizia um poeta e, por isso, não me acostumo com quase nada!!! Afinal o q se leva daqui? Vamos aproveitar e viver!!!!
Devo ir aí mês q vem. Bjks