O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Saudade




Hoje, por uma razão, acordei sentindo saudade. Desejei escrever um bom texto ou encontrar as cores exatas dessa palavra porém nesta manhã, tudo a minha volta falha. Dizer o que, se tudo já foi dito:

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
É recusar um presente que nos machuca,
É não ver o futuro que nos convida...Pablo Neruda


Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue. Adriana Falcão

Também temos saudade do que não existiu, e dói bastante. Carlos Drummond de Andrade

Saudade é um dos sentimentos mais urgentes que existem. Clarice Lispector

Que saudade é o pior tormento, é pior do que o esquecimento, é pior do que se entrevar... Chico Buarque

Se tudo na vida tem seu preço
Quanto vale matar uma grande saudade
Sem prazo de validade...
Sem meio, fim, nem começo? Bruno Bezerra


Saudade é melhor do que caminhar vazio. Peninha


Reconstituição:
Tive de repente saudade da bebida que eu estava bebendo...tive saudade e tentei me lembrar que gosto faltava, qual era a bebida...Fui procurando entre copos e móveis e dei com sua boca. A saudade era dela A bebida era o beijo. Elisa Lucinda


A saudade é um filme sem cor que meu coração quer ver colorido. Zeca Baleiro


Conservar algo que possa recordar-te seria admitir que eu pudesse esquecer-te. William Shakespeare


Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já não me dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.


Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Leonardo da Vinci


Embora o corpo se mova, a alma, às vezes, fica para trás. Shikibu Murasaki



E pintar como? Se pintar a saudade é mentir, porque quando ela aparece, as cores desaparecem. Saudade é incolor.
Resto-me aqui, prostrada entre as minhas tintas e as letras desse teclado.
Mas afinal...palavras ou cores para quem? Para que?
Se o que ha em mim já foi mostrado na simples transparência dos meus olhos?
Deixo então, meu olhar. Não o que tenho agora assim ceguinho...salgado... mas o que tive noutro dia, quando uma câmera me capturou plena de amor.
Qualquer dia... a gente se encontra. Na terra ou no céu ou em qualquer coisa bela que entre eles exista...
Um beijo meu.

Em tempo: Saudade é uma palavra que chegou de caravela, hoje, exatamente hoje...ela está em mim...eu estou nela... Ita Andrade


13 comentários:

Tadeu Queiroz disse...

Ai! Em Paraty a mardita saudade chega de caravela... rs!
Aqui no interiorRRR ela vem de ônibus mesmo... rs!
Brinacdeiras à parte, saudade enorme de vc!
Adorei o post!
E viva nossa saudade!

Monica Loureiro disse...

Que show este POST !
Adorei !
Nossa, vou guardar no meu "CADERNO DE PENSAMENTOS"

Vou voltar sempre...

Gis disse...

Lindo, lindo! Clap, clap! ;-) Adorei. Post (e carinho) aceito. Me deliciei. Obrigada. Bjos!

Nuno Damas disse...

Curiosa a hora de seu post. Por essa hora, ao amanhecer, estava eu terminando de sonhar com a forma mais pura e dolorida de saudade. Essas coincidencias sao meio fraternais, não? E por falar em saudade, vamos matá-la hoje ao fim da tarde, bebericando aquele cafesito. Tem alguma chavena azul? Aiiii nao é chávena, é xicara...

Serginho disse...

Voce ainda gosta de cafe???
A minha saudade è como o aroma que sae daquela pequena maquina que borbotta na cozinha. (Voce diria resmuga, mas borbotta tem um som melhor, nao è?).

Ita Andrade disse...

Tadeu,
Obrigada por aturar o que escrevo sr. Jornalista! Ter um blog assim bem frequentado não é para qq um...
e Paraty...é para ti incluindo a minha casa.
Beijos volte sempre

Mônica,
Volte sempre mesmo! Preparando a viagem?


Gis,
Clap Clap Clap é otimo! vc é otima, nós somos otimas e a vida é BOTIMA!!!

Nuno,
A chávena azul ja esta na mesa...estará sempre que precisar, amigo tão querido.

Serginho,
Sabe que preciso manter poucas coisas para viver bem, entre elas estao a cafeteira italiana e as minhas melhores lembranças...

a Véia da Teia disse...

eu tenho uma saudade do que vou ser...
uma saudade sem pressa, pois gosto do aqui e agora. Sem medo, pq tenho o imponderável em mim, admito o espaço quântico, onde tudo está acontecendo sem comando, sem domínios, sou apenas o bró, a sopa da sopa da sopa, navego entre o átomo e o universo, e não me sinto só.
Fecho os olhos e me vejo, caminhando ao meu próprio encontro, e gosto dessa figura de cabelos longos e olhos idealistas, tenho saudades do que vou ser.
...Pra ti Ita.

Ivan disse...

saudades do futuro. o futuro do presente, seja ele qual for, mas não do futuro do pretérito.
Te amo.

Calabresa disse...

Eu sempre visito seu blog. Só que nunca comentei.
Eis que hoje, com o coração apertado, cheio de uma saudade louca de um certo alguém, me deparo com esse post lindo!
Era tudo o que eu precisava ler pra chorar as lágrimas que teimavam em não sair...
Só me resta agradecer pela emoção!
Obrigada!

Marta Moniz disse...

Não pude dizer palavra... só os olhos marejados contam uma história neste momento... e tudo toca o coração do jeito mais doce e belo!

Calabresa disse...

Mulher,não dê "asa a cobra"! hehehe!
Com um elogio desses eu ganhei a semana! E olhe que eu nem havia terminado de escrever o post.
Obrigada pela visita. Volte mais vezes!
Beijão!

Ita Andrade disse...

véia...Tambem sinto saudades do futuro e se vier a ser como pressinto...Ainda mais sinto.
Abraço de gente...

Ivan,
Sinto...sinto...sinto muito!


Marta,
Raramente sinto saudade de vc e quando acontece, me doi devagar...deve ser porque vc esta sempre...sempre está...

Calabresa,
Quando vivi em Paris, onde há um artista de rua em cada esquina, aprendi uma ética que muito se estende em minha vida. Se um artista (ou alguém) me prendeu por cinco minutos, em algo me enriqueceu e merece portanto uma retribuição. Não consigo sair de sua presença sem deixar-lhe o meu quinhão. Obrigada por ter deixado o seu.

Marisa Pimenta disse...

Nossa Ita, q bom vc ter conhecido meu blog.Temos uma coincidência, mas diferente, vc tem 3 filhos e eu 3 filhas, inclusive a mais nova jornalista.Olha, seu blog é lindo e nas respostas vc diz q mora em Paraty? Nossa, aí somos almas gêmeas, pq amo aquele lugar e sempre q posso estou por lá.Qto a saudade, é cada frase mais linda q a outra e os autores excelentes!Vc já visitou meu blog vivendodehistorias? tem um post sobre Paraty e tb mtas historias e textos q vou guardando e um dia os acho e eles são repassados aos amigos da blogosfera.Minha filha tem um blog tb legal Blogandoarte, sobre cinema, livros e etc., vá lá.Sou uma contadora de historias com formação em História, mas professora só de crianças, pois amo esses pequenos. Olha adorei te conhecer, apareça sempre e vá lá ver as histórias. Bjks