O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Se eu pudesse...



Se eu pudesse, eu o protegeria da tristeza que se instalou em seu olhar
Eu lhe daria ferramentas e coragem para ultrapassar esses tempos de seca
Eu lhe daria a força que tenho para levantar e recomeçar
Sim! Eu o faria se eu pudesse
Se eu pudesse,
Eu renunciaria a vida que tenho, para que a dor do abandono nunca lhe encontrasse
Eu sei que eu não poderia mudar sua história, nem cruzar as pontes que são suas, nem chorar as lágrimas do seu coração
Mas eu o faria se eu pudesse
Entretanto,
Eu renunciaria a todas as minhas vidas, por todos os mundos de Deus
Para que você pudesse compreender que:


Quando o Amor se instala em nosso coração
A gente segue as cegas por uma estrada
Sem saber onde vai dar
E caminha tropeça e cai
Cansa descansa e levanta
Insiste persiste e prossegue
E consegue canta e dança
Mas de novo chora ora implora
Desespera pede e espera
E corrige aprende e ensina
E então ...
Num belo dia se dá conta
Que no passo a passo dessa estrada
Andou construindo sua alma.
Essa vida é só uma estrada e você só vai chegar onde o seu amor puder.
Amor Absoluto,
Mamãe
.

10 comentários:

Nuno Damas disse...

Mãe é aquela entidade que tenta mandar em nossas vidas, tenta interferir em nossas decisões, tenta limitar nossas escolhas, tenta conduzir nossos passos, tenta testar permanentemente nossa paciência, tenta conhecer o que nem nós mesmos imaginamos, tenta escolher nossa roupa, nossos livros, o filme de dvd, tenta opinar sobre nossos amigos, tenta ser a conselheira exclusiva em nossas relações amorosas, tenta ter as certezas todas sobre a nossa vida, mas quando vai embora, leva com ela nosso corpo, nossa alma, nosso ar, nossa pele, leva as folhas das árvores e o calor que o Sol tinha, leva o cheiro da terra e da chuva, leva o som dos pássaros, leva o sabor da comida, leva o conforto da nossa pele, leva o gargalhar do sorriso e o brilho do olhar, leva a membrana que nos protege do mundo, leva o sabor de nos sentirmos com sorte,leva a certeza de querermos a vida, leva com ela tudo e tanto e ficamos sem saber se um dia algo disso vai voltar.
Eita, Ita mamãe!

Ita Andrade disse...

É...Nuno!
Pois é...!
Obrigada por estar sempre presente.
Abraço dos meus...

Anita Miguel disse...

Ita, amei essa imagem do Klint
me deu vontade de ter uma no quarto da anita... vou procurar um poster

besitos, RÔ

Monica Loureiro disse...

Poxa, arrasou, hein....
Adorei ..To fazendo um "LIVRO DE PENSAMENTOS" para guardar para as minhas amigas que nao tem Internet..

Valéria Martins disse...

Hahaha... Antes mesmo de chegar ao final, eu já estava pensando que diria isso aos meus filhos. Pensando como mãe. Achei que podia estar equivocada, e que vc poderia estar escrevendo para o seu amor. Mas era como mãe que escrevia, mesmo.
Pois é... A gente vê eles sofrendo e quer aliviar esse sofrimento. Mas é assim que o ser humano cresce e amadurece, né? Não podemos impedir.
Um beijo, com Deus

Ita Andrade disse...

É...Rô! Aproveite bem esse tempo doce quando tudo o que Anita prescinde, esta ao seu alcance...
Besitos para as duas.

Mônica,
São só lamentos de uma mãe, hoje atormentada.

Valéria,
Interessante...sinal de que o texto esta coerente...que bom! é muito difícil escrever sobre sentimentos sem cair em alguma vala comum...é perigoso, não é?
Obrigada por esse minuto gostoso.

Calabresa disse...

Ita!
É claro que quero um abraço! É tão gostoso receber um abraço carinhoso!

Mas também quero abraçar você pra me solidarizar com essa preocupação de mãe (mesmo sem ser mãe...) Vai passar. Espero que seja logo!

Valeu a força. Escrever ainda é algo muito novo. Estou me decobrindo capaz de algo que eu jamais me imaginei capaz! E é tão bom saber que alguém gostou.

Um forte abraço!

Ita Andrade disse...

Adriana,
Eu acho adorável a forma com que você escreve, solto, engraçado. Escreve como fala, imagino, e da certo porque fala bem e com um conteúdo no mínimo respeitavel. Escrever num blog é um trabalho um tanto solitario por isso no que depender dos meus estimulos, vc não vai parar de escrever e ta linkada aqui para compartilhar com meus leitores tambem.
Super abraço

milve disse...

Esta mãe que se vai e leva tudo, não foi uma boa mãe, não deu lição de vida, não ensinou que a vida é uma constante, não disse ao seu filho que ele deve contruir sua própria vida e que saudade é sempre algo que passou, também não lhe disse que mesmo que a macarronada não tenha o mesmo tempêro, é dela que ele vai ter que aprender a apreciar, ja que é ela que vai alimenta-lo. Já ouvi dizer que se tem saudade do que vai acontecer... (sen comentário)

Ita Andrade disse...

Milve,
E do meu sentimento, do post propriamente dito, o que pensa?