O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Gatita



Quando meu filho voltou de Recife, onde foi para estudar jornalismo, trouxe na bagagem um schnauzer. Eu, até aquela noite no aeroporto, jamais tinha acariciado um cão. Não havia em mim a menor disposição para conviver com qualquer animal. Sempre gostei foi de gente mesmo. Mas filho é filho né? Então acatei o peludo de três meses, porem com muitas restrições...não pode isso, não pode aquilo e se pudesse daria um banho por dia. Mas para encurtar esta historia quero dizer que ao fim de uma semana a criaturinha estava dormindo na minha cama e com direito a almofada de seda. E mais, se eu gastasse no cabeleireiro o que gastava em pet shop eu com certeza seria uma mulher linda. Estudei adestramento, li o que encontrei sobre cães, me cadastrei em sites de comportamento animal e em pouco tempo me tornei membro do clube dos loucos por cães. Klein é um doce de cachorro, usa anti-formigas em vez de anti-pulgas e suas historias já davam um livro.
E você, diante deste relato, pode estar pensando que errei a ilustração deste post. Ta tudo certo, porque agora é a vez da Gatita estrelar.
Ela também chegou por amor. Nunca acariciei um gato, jamais pensei em conviver com um, mas esta gatinha meiga, educada e tranquila, chegou num pacote...e por isso também foi aceita. E a história se repete...poucos dias para ela conquistar um lugar no meu coração, na minha vida e pra dizer a verdade, um pedacinho da minha cama também.
E eu que sempre preferi gente a animais, acabei por descobrir que os bichos conseguem ser belos sem vaidade, fortes sem arrogância, valentes sem ferocidade, felizes e agradecidos com pequenas coisas, fiéis, companheiros, solidários e alem de tudo, divertidos. Enfim, possuem todas as virtudes do homem e nenhum dos seus defeitos. Descobri que por amor posso fazer concessões, rever conceitos e preconceitos. Descobri um mundo de possibilidades, escondidas num ser que como eu, só quer amor, carinho e proteção.

12 comentários:

Fabio Fernandes disse...

Meu filho, uma vez, ganhou um Poodle Toy. No começo eu rejeitava a idéia de ter um poodle. Sei lá, deve ser por eu ter 1,83m de altura e ficar me imaginando passeando com um poodle. Enfim, meu filho colocou o nome de Teco, não discuti afinal de contas o cachorro era dele.
Como estava num período ocioso, participei dos 3 primeiros meses da criação do Teco. E depois de 3 anos na família, Teco me obedece em tudo, basta me ver chegando no fim de semana pra fazer xixi de tanta alegria.
Virou nosso amigo, e parte da família também.

Não é só amor por um bicho, é amizade mesmo. E da parte deles é sempre incondicional.

Bjos.

vida cotidiana disse...

Sabe, eu amo animais, vivi sempre no meio deles. Meu pai sempre teve cachorro.
Hoje tenho uma gata, a Pérola, não sei se pelo nome, mas ela é uma rainha, delicada, elegante e sabe cativar como ninguém. Claro que dorme entre eu e meu marido. bjs

Lu Fuoco disse...

Ita, quanto tempo!
Li tudo de atrasado que você escreveu. Desculpa o sumiço, estava uma loucura minha vida.
Olha, guarda meu banquinho que logo mais tô indo buscar tá (só não vou este final de semana porque vou trabalhar)?
Amei, tudo tudo por aqui.
E olha, essa gatinha é a coisa mais linda. Sou suspeita para falar de gatos...sou completamente apaixonada. Você vai ver a maravilha que ter um traz à vida.

Um beijo bem grande, com saudade.

Calabresa disse...

Mais uma semelhança entre a gente. Eu estou melhorando aos poucos, mas era exatamente assim.
A melhora se deve ao Bob, o cachorro da familia do meu namorado. Ele é tão "gente" boa que é impossivel não ser conquistado por ele.
Passei um tempo sem aparecer, e quando ele me viu se jogou em cima de mim na maior sem cerimonia do mundo!
Ai não teve jeito: capitulei!
Bj

Pipas disse...

Eu não consigo viver sem bichinhos por perto. Tenho um cachorro e um gato e ainda cuido de dois gatos que moram na porta da minha casa! Já fiz parte de associação e deixei de comer carne há 3 meses...Tudo por amor a eles!

Fabio Fernandes disse...

Moça, só uma dica:

Quando chegar num site com letras pequenas demais, mais fácil do que copiar e colar no word é só apertar:

CTRL + pra aumentar a letra
CTRL - Pra diminuir..

Bjos
(não precisa aceitar esse comment)

Ita Andrade disse...

Fabio,
Deve ser tão meigo ver vc passeando com essa miniatura... e a propósito, publiquei o outro post porque adorei ser chamada de Moça (e a dica tbem)

Vida, Lu, Adriana e Pipas,
Pois é, parece que só faltava eu nesse clube... Adoro quando vcs vem me visitar e deixam um bilhete embaixo da porta
Beijinhos

Marisa Pimenta disse...

Amei Gatita. Aqui, temos o Mingau o vira-lata mais lindo do mundo e mais tudo. Sempre tive em casa qdo jovem um verdadeiro jardim zoológico, meu pai trazia p casa todo bicho q achava ou ganhava, resumo: tartaruga,galinhas mtas, galos, pato, papagaio de muita falação, cachorro e mtos gatos. Porém, minha mãe não admitia bicho dentro de casa e assim, nunca peguei em bicho, só curtia. Hoje, vivo em função de Mingau q me elegeu como mãe, pois é da minha filha. Ela sabe q ado casar não vai levá-lo. Como vc bem diz, bicho é amigo de verdade, até pq não fala, mas morde e se irrita tb, só q o Mingau é só ternura, como vê estou igual a vc no quesito bicho. Não tenho mais pq o ap. é pequeno.
Os homens deviam aprender c esses seres, não é??? Será q conseguiriam???? Bjks

sonhador disse...

¨Por amor podemos fazer concessões, rever conceitos e preconceitos. Descobre-se um mundo de possibilidades¨
Esta frase merece ser colocada em uma placa revestida de seda.

Bjs

Ita Andrade disse...

Marisa,
Sorte sua ter descoberto isso bem cedo. Azar dos meus filhos que nunca tiveram esta oportunidade. Lamento muito que não tenha oferecido a eles esse universo mas agradeço muito que eles tenham trazido a mim.
Um abraço pra voce e um chero no Mingau. (adorei o nome dele, eita coisa gostosa!)

Ita Andrade disse...

Milve,
Só tu mesmo com esses seus coments...
Uma vez vc tinha um blog...vc ainda tem? rss
Abraço, Amigo!
Andava sumido né?

Gis disse...

Ah, esse post tbm foi sobre amor (lindo, por sinal!) e tiveste vários posts. ;-) Eu não tive muitos bichos na minha vida, mas o que tive foi inesquecível. Bjos!