O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Alta velocidade



Sou filha de um piloto de rally. Um cara louco por carros mas que não teve um filho homem... Não tem tu vai tu mesmo! Tão logo minhas pernas alcançaram os pedais e meu pescoço esticou pouco acima do volante lá estava eu no comando de um Maverick V8. Que máquina! Ainda posso ouvir o motor... Com certeza meu pai me transferiu seu gosto por automobilismo e por velocidade mas a coisa mais importante que me transmitiu ao ensinar a entrar nas curvas, foi algo com que posso contar, sempre que tenho uma curva da vida para enfrentar:

"NÃO OLHE PARA O QUE VOCÊ TEME, OLHE PARA ONDE VOCÊ QUER IR"

(Ao Sr. Hélio Andrade, o meu muito obrigada!)

À todos os meninos e meninas (loucos por carros ou pela vida) que por aqui passarem, o meu desejo de uma semana emocionante.

7 comentários:

vida cotidiana disse...

Ensinamento muito sábio de seu pai, lindo, mil bjs

Lu Fuoco disse...

Ita, sem saber ao certo, você acertou em cheio o meu coração com esta frase.

Tenho passado por um longo - e doloroso - processo de transformação e aprendizado. Ontem, conversando com meu marido, ele me fez questionamentos precisos (coisa de psicólogo...rs), cujas respostas mostraram o que eu não queria enxergar.

Somou-se a isso o fato dele ter se apaixonado por uma característica minha que eu andei deixando para trás e que ontem eu descobri. E isso me fez decidir algo muito importante, que tua frase de hoje só fez reafirmar.

Obrigada pela ajuda distante e despretenciosa.

E prepare-se, pois você não vai precisar de almofada no banquinho.

Um beijo bem grande!

Calabresa disse...

Adooooorei!
Bjsss.

http://devaneiosdeumqualquer.wordpress.com/ disse...

Concordo com ele... Mas se olharmos só pra onde queremos ir, pode nos sobrar apenas pontos pra onde não podemos olhar. Temos que saber pra onde ir e olhar pra lá. Mas se bater medo, temos que encará-lo também... ;)

Confuso, mas auto-explicativo também... hehehe

Bjos.

Ita Andrade disse...

Fábio, não complica, é simples: Se tiver que fazer uma curva a beira do abismo e olhar para o abismo, é pra lá que voce vai...
Tem muitas curvas daí até Niteroi?
Beijoka

a Véia da Teia disse...

minha paixão sempre foi por motos, sempre! aprendi a dirigir carros na marra, e motos eu me lancei a pilotar com vontade!

Veroca roca.

Pipas disse...

Adorei! Quando tenho medo, me concentro para deixar de ter e ir até onde quero ir!
A minha semana está a ser muito emocionante! Promete! Beijos de Lisboa