O bicho-da-seda é a larva de uma mariposa. Quando nasce mede cerca de 2,5 mm de comprimento. Durante 42 dias alimenta-se sem parar, de folhas de amoreira e sofre quatro metamorfoses.
Quando atinge o tamanho de 5cm, começa então a tecer um casulo branco e brilhante, composto por um único fio. Com um movimento geométrico infinito, em torno de seu próprio corpo, após três dias de trabalho, estará envolta em um casulo confeccionado por um fio de aproximadamente 1200 metros. Se for deixada em paz... Em 12 dias se transformará numa borboleta.
Com esses fios, há quase três décadas, ando tecendo a minha história. Por um desejo simples, desprovido de maiores intenções, eis aqui um espaço onde me proponho a compartilhar minha trajetória e falar livremente sobre todo tipo de arte, incluindo a arte de viver.
Bem-vindos ao meu mundo, onde nem tudo é sempre colorido, transparente, leve, mas que guarda em si, todas essas possibilidades...

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Bate outra vez...


O que há em mim é sobretudo amor.
Ele é o senhor das minhas horas.
Ele andou riscando meu rosto com uma navalha fina, sem pressa, sem rancor.
Disso dão testemunho minhas cicatrizes
Umas por amor aos meninos
Outras por amor a arte
Outras pelo amor que eu não achei.
Amor! Não me deixe voltar frustrada de tua porta
Vai dizer a esse destino que insiste em ser destino
Que eu insisto, persisto...não desisto.



4 comentários:

Anita Miguel disse...

Ita querida

quanta inspiraçao!

ah, esse amor vai chegar, e logo!

beijos!

e que amigo também inspirado esse jolavofeitosa!

romano disse...

Mulher! Tu nem pense em desistir mesmo. Tu sabes que o que é teu não ta guardado, ta sendo acabado...enquanto isso vai soltando esse teu sorriso sincero pra quem precisa e tem tanta gente que precisa...te deixo um beijo nestes teus olhinhos cor de mar, mas nao quero ve-los salgados....nunca!
me liga guria, to com saudade de ti

Ita Andrade disse...

Se eu pudesse, eu cobriria de tinta os meus sentidos... mas não posso. Desisto nao, gaucho! Ah! de vez em quando deixa o teu celula ligado, quem sabe eu dou sorte...
Te quero uma barbaridade tche!

Ita Andrade disse...

Rô, vc diz duas coisas que eu aprecio muito: "É preciso aprender a ser só para ser boa companhia" e "Viver só nao significa ser só" Sinceramente? Eu acho que ja aprendi a ser boa companhia,e a viver sózinha. Para aprender a ser só ainda falta muito...obrigada pela força.
Te quiero mucho!